Como fazer um modelo de negócios (canvas) + PDF gratuito

Atualizado: Jul 8

Vamos aprender um pouquinho mais sobre empreendedorismo hoje? Aproveitando um pouco desta quarentena para aprimorar e tornar os nossos negócios cada dia melhores, afinal, o que mantem um negócio de pé em meio a crises como esta pandemia a qual estamos passando é organização e, sim, ele mesmo: o modelo de negócios!


Nosso modelo de negócios é muito chic

Antes de tudo, não entre em pânico, não ache que o seu negócio vai falir! É hora de ter pensamento positivo, respirar fundo e cuidar de si mesmo. É apenas uma fase pela qual todos nós iremos passar e que com união tudo será possível de resolver.

Por isso, para acalmar um pouquinho os corações de vocês, trouxe mais uma vez, um conteúdo gratuito para, feito com muito carinho e estudo, para auxiliar quem está aí parado pensando demais nos problemas e pouco na solução, bora lá?



O que é um modelo de negócios?


Um modelo de negócios, também chamado de canvas é uma versão resumida do plano de negócios, que futuramente pretendo trazer uma postagem contando em detalhes.


Um plano de negócios é um documento onde ficará todos os dados da sua empresa: desde sócios e capital investido até estratégias de marketing, canais de divulgação, os produtos que você pretende vender, enfim, uma infinidade de coisas.



E qual é a importância disso tudo?


O principal objetivo do modelo de negócios é justamente avaliar se vale ou não a pena investir neste negócio.


Vejamos: se você possui uma ideia de negócio e coloca todos os gastos no papel antes de começar a abrir a empresa efetivamente, é muito mais seguro do que se você for fazendo tudo "na doida", percebe?


Além disso, caso o seu projeto seja viável, você terá todo o plano de negócios organizado, o que te dá mais estruturas para seguir com o seu empreendimento.


Baixe o seu canvas lindinho clicando aqui.


Como montar o modelo de negócios passo a passo



1. Atividades-chave


Nesta parte devemos colocar as atividades do negócio de forma muito resumida (de preferência em palavras-chave). Por exemplo, aqui na Casa de Lilith, fazemos identidade visual, branding e impressão de papelaria. Simples assim!



2. Recursos principais


Os recursos são os materiais essenciais que você precisa para fazer o seu negócio funcionar. São aqueles recursos que se não existirem, seu negócio não funciona. Vamos a um exemplo daqui do estúdio: preciso de 1 computador, 1 impressora, material de desenho básico e internet. Se eu não tiver esses materiais, não consigo trabalhar.



3. Propostas de valor


Essa parte é de extrema importância e deve ser a mais bem pensada, porque é aqui que entra o motivo pelo qual a sua empresa existe.


Como você pode ajudar os seus clientes? De que forma eles precisam dos seus serviços?


Se uma empresa não tem um motivo para existir, esta não tem uma missão! Isso faz com que a sua empresa não tenha um direcionamento e não tenha um cliente ideal.


Resumindo: você vai atirar para todo lado e o seu negócio será apenas mais um do mesmo.

Por isso, tenha um motivo que seja maior do que você. Vou te dar um exemplo mais uma vez daqui do estúdio. Minha missão não é simplesmente embelezar e ajudar clientes, afinal isso seria o mínimo exigido para exercer a profissão, concorda? Atender bem os clientes também não é proposta de valor. É obrigação.


Por isso, minha missão é que mais mulheres se libertem de crenças limitantes, que elas entendam que empreendedorismo é coisa de mulher, sim! E que a gente pode muito mais do que imagina. Eu quero ver mais mulheres chefiando empresas, fazendo coisas que gostam, vivendo suas vidas e sendo imperatrizes de seus negócios.


É isso que me motiva e essa é a minha proposta de valor: ajudar minhas clientes a serem pessoas valorizadas no mercado que atuam, fortalecendo suas marcas e enaltecendo o poder feminino!



4. Canais


Quais serão os canais de comunicação com os seus clientes? Eles serão os caminhos pelos quais os clientes chegarão até você. Canais de comunicação não precisa ser necessariamente as redes sociais, mas pode ser a tv, o rádio, o carro de auto falante na rua, aquelas faixas que penduram no poste também.


Por exemplo, aqui no estúdio, meus canais são as redes sociais (em especial Pinterest, Instagram e LinkedIn), o site, o blog, meus cartões de visita que distribuo em algumas gráficas (material impresso) e meus próprios clientes que me indicam, acho que só.



5. Relacionamento


Parece que é a mesma coisa que canais, mas não é! O relacionamento é a forma que seus clientes entrarão em contato com você quando precisarem tirar dúvidas, reclamar e solicitar orçamentos.


Aqui no estúdio, o relacionamento com o cliente é feito através do WhatsApp, do email e pelo direct do instagram. Esses são os lugares onde tiro dúvidas dos clientes e atendo também.



6. Parcerias


Parcerias podem ser aquelas empresas que apoiam a sua, mas podem ser os seus fornecedores também. Aqui no estúdio temos 3 fornecedores de impressos que fazem a impressão do material gráfico de vocês. Queria ter mais fornecedores, mas atualmente estes 3 satisfazem bem as minhas necessidades.


Parceiros mesmo, de empresas, ainda não temos (mas quem tiver disposição para parcerias estamos ai).



7. Clientes


Outra parte essencial de um negócio: saber quem você irá atender. E não adianta dizer que será de crianças a adultos. Nossa, eu tenho um piti toda vez que abro um briefing e um cliente responde a parte de público-alvo "que atende a todos os públicos".


Não, você não atende todos os públicos. Supomos que você tem um mercado. Você vê algum bebê em pé na fila do caixa ou fazendo compras?

Não? Pois é, então os bebês NÃO fazem parte do seu público-alvo, pois não são eles que fazem compras. Então neste caso o cliente ideal seria a pessoa que compra os seus produtos, o que normalmente são os pais/avós da criança, certo?


Por isso, selecione bem quem são as pessoas que vão comprar o seu produto. Não adianta dizer que é uma loja infantil e seu público alvo são as crianças, porque não são não. Seu público alvo e possíveis clientes são os pais da criança, então foque neles!!!


Recomendo ler nosso outro post falando sobre isso clicando aqui.



8. Custos


Os custos são os gastos fixos que você teria para manter o seu negócio em pé todos os meses. Vamos supor que você tem uma loja virtual.


Seus custos fixos seriam: internet, a luz, a mensalidade da plataforma, custos com transportadora, compra de materiais, por exemplo. Caso você tenha alugado um escritório, há a necessidade de pagar o aluguel também.


Então coloque tudo isso na ponta da caneta (tudo mesmo), veja o quanto que será automaticamente cortado do seu faturamento assim que chegar o final do mês. Isso vai te dar ideias de como cobrar melhor pelo seu trabalho sem sair no prejuízo.



9. Fontes de receita


Essas serão as fontes de ganhos da sua empresa. Você tem uma loja virtual e física? Essas são as suas fontes de receita. Você tem apenas uma conta no instagram? Essa é a sua fonte de receita também.


Enfim é bem simples de entender. No meu caso, as fontes de receita são o meu site e o instagram e pinterest.


Ufa, que texto longo! Demorou para escrever, mas cheguei ao fim hahaha! Espero ter ajudado vocês em alguma coisa. Se eu ajudei, não deixem de compartilhar o post por aí e se inscrever aqui embaixo no email para receber as novidades.


E é isso, obrigada por ter lido!

E até o próximo post ;)

Se inscreva para

receber os nossos

posts novos :)

Não mandamos SPAM! Ao registrar-se, você concorda e aceita que A Casa de Lilith envie e-mails de novas postagens e armazene seu email em nosso banco de dados.

Somos um estúdio virtual localizado em Taboão da Serra -SP, focado em design gráfico e branding para empresas e profissionais autônomas. Acreditamos no potencial da imagem para alcançar o sucesso.

  • LinkedIn - Gabriela Costa
  • Facebook
  • Pinterest
  • Instagram

© COPYRIGHT 2020 - CNPJ: 31.252.859/0001-11 A CASA DE LILITH DESIGN STUDIO || FEITO COM ♥ DESDE 2018