5 perguntas que podem te ajudar no processo de branding do seu negócio

Você já tentou diversas vezes construir uma marca sólida e com personalidade mas sente que nunca atinge a mensagem que gostaria de passar?



Essa sensação é comum em quem está iniciando um negócio há pouco tempo e não tem ideia do público que pretende atingir.


Se você não sabe que público-alvo pretende atingir, volte 5 casas (!).

O público-alvo é uma das primeiras coisas que precisamos decidir ao criar uma marca. Como é que essa marca irá se comunicar se ela não pertence a lugar nenhum?


Atirar para todo o lado é a mesma coisa que nada.


Portanto, antes de qualquer coisa, estabeleça que público-alvo pretende atingir e depois disso, decida quem será a persona.


Com esses 2 decididos, volte para ler este post, pois assim fará mais sentido para você e te ajudará de verdade.



Vamos começar?


Pegue papel e caneta (recomendo, pois escrever à mão estimula a criatividade e as conexões) ou abra o seu Word e copie e cole as seguintes perguntas abaixo.


Eu respondi cada uma delas para que você possa ter uma ideia do que deverá fazer e você verá como é fácil decidir essas respostas quando já se tem um público-alvo e uma persona definidas.



Pergunta 1: se a sua marca fosse uma pessoa, quem seria?


Não é fácil separar o joio do trigo, pois nem sempre aquilo que gostamos como "pessoa" é a melhor referência para usarmos na nossa marca.


Tipo eu usar o Neymar aqui como inspiração... oi????


Por isso, precisamos ser coerentes e escolher pessoas que tenham a ver com o nosso nicho ou área de atuação.


Se você atua na área do esporte, talvez o Neymar seja uma boa opção, percebe?


Portanto, se minha marca fosse uma(s) pessoa(s), sem dúvidas seria uma mistura doida da Sophia Amoruso, Ariana Grande e Coco Chanel.


As três possuem personalidades fortes e, mesmo que a Sophia Amoruso tenha seus defeitos, é uma mulher muito inteligente, ousada e inspiradora.


(Aqui não estou levando em consideração os defeitos pessoais de cada uma, afinal todos nós temos muitos defeitos. Perceba que estou levando em consideração a personalidade.)


Compactuo bastante do que a Sophia usa com relação a visual e gostos musicais, portanto é uma inspiração de moda pra mim.


E Chanel também não fica atrás.


Apesar de suas inclinações pouco progressistas das quais não gosto, foi uma mulher de extrema importância para o mundo da moda pela sua personalidade e sua criatividade.


Sua marca é icônica e atemporal até os dias de hoje! Não se pode negar que ela era uma mulher incrível.


Já Ariana Grande é uma cantora contemporânea e uma boss lady fantástica e que traz muito bem a atmosfera de mulher poderosa e segura de si.


É só ver os clipes dela que você vai notar. ;)



Pergunta 2: se a sua marca fosse um filme ou série, qual seria?


Se a minha marca tivesse a aparência de um filme, provavelmente seria um filme bem fashionista como O Diabo Veste Prada e a série Girlboss.


Já percebeu que eu sou apaixonada por Girlboss, né? Pois é. Amo séries e filmes fashionistas ou com temáticas ligadas ao empoderamento feminino.


Tudo que conecte o mundo criativo com empreendedorismo e o universo feminino me cativa e é essa atmosfera que eu quero trazer para o estúdio.



Pergunta 3: que característica positiva você tem que gostaria que sua marca também tivesse?


Entretanto, é legal ter na sua marca um pouco de você, porque sabemos que o diferencial é justamente aquilo que temos de "estranho".


Eu por exemplo sou uma pessoa versátil, prática, moderna e... alternativa.


Sim, tenho tatuagem, piercings e os dois lados da cabeça raspados, o que pode chocar muita gente, mas para mim é absolutamente normal.


Logo no começo do estúdio em 2018, adotei uma identidade visual que fugia demais do meu estilo: muito fofinha, rosa bebê, cinza pastel e cinza escuro porque tinha receio de que as pessoas não se interessassem pelo meu trabalho caso eu adotasse um visual mais "diferente".


Eu AMO essas duas cores, mas agora as uso de uma forma que pareça mais com o meu estilo pessoal e olha, acredito que me encontrei visualmente na nova identidade visual e o estúdio nunca esteve tão bem.


Essa é a importância de você colocar um pouco de si no seu negócio! Espero que continue assim!


Pergunta 4: que marca te inspira a empreender?


Ter uma motivação é fundamental para que a gente não perca o fio da meada e não encontre mais sentido no que estamos fazendo.


Por isso, ter um empreendedor ou uma marca de inspiração traz gás e nos direciona a entender mais ou menos o que você sonha como meta.


Resumindo: ter uma inspiração te ajuda a ter um propósito na sua marca e, consequentemente facilita o processo de branding.

Eu tenho uma marca preferida que é a Cuplover, que nem do meu nicho de atuação é, mas digamos que estamos próximos porque design é uma área que envolve produto, moda, gráfico, etc.


A Cuplover é uma marca de roupas e vestidos muito lindos à moda clássica, com cortes perfeitos que sou apaixonada.


O que mais me inspira na marca é a criadora e estilista Gê Gotardelo, uma mulher maravilhosa (mulherão da p*rra mesmo), inteligente, determinada a conseguir o que ela queria: ter a própria marca dela e ser uma estilista reconhecida.


O fato dela ter saído do interior de MG, vindo pra SP, ter mudado radicalmente a vida dela em prol do sonho de ter a própria marca é inspirador e me motiva bastante a continuar seguindo o que eu sempre sonhei. <3


Aliás recomendo vocês conhecerem a marca e a história dela. É incrível!



Pergunta 5: de que forma a sua marca poderia mudar o mundo?


Essa é a pergunta mais difícil, porque sabemos que mudar o mundo na prática é impossível, já que depende de todos.


Porém, o que a sua marca pode fazer para fazer pelo menos 1 mudança?


Nem que seja mudar a vida de 1 pessoa ou um grupo de pessoas para melhor, o que ela pode fazer para tornar o mundo melhor de alguma forma?


A Casa de Lilith muda a vida de mulheres seguras de si e empreendedoras que buscam ter sua independência financeira e obterem a sua própria fonte de renda.


Quantas mulheres empreendedoras de sucesso conhecemos hoje?

Há uma defasagem imensa no mundo dos negócios. Há pouquíssimas mulheres comerciantes e empresárias de muito sucesso.


Quase sempre que encontramos alguma, foi por herança de seu pai que montou a empresa ou herança do marido.


Esse cenário é preocupante, pois reforça o estereótipo de que as mulheres não possuem capacidade de crescer e se tornar uma grande empresária sem a ajuda de um homem.


Obviamente, não há nada de errado em querer ter uma empresa com um homem, seja ele seu pai, marido, irmão, filho, etc. O que precisamos mudar é esse preconceito com a incapacidade intelectual e administrativa das mulheres.


Mulheres podem ser o que quiser! Donas de casa ou empresárias multimilionárias, elas podem fazer o que desejar.


E termino este post por aqui pois já me estendi demais. Espero ter lhe ajudado a dar algumas ideias e que você possa melhor desenvolver a cada dia a sua marca.


Precisou de ajuda na sua marca? Só clicar no botão ao lado direito e solicitar um orçamento.


Obrigada por ter lido! Beijos e até o próximo post.


Se inscreva para

receber os nossos

posts novos :)

Não mandamos SPAM! Ao registrar-se, você concorda e aceita que A Casa de Lilith envie e-mails de novas postagens e armazene seu email em nosso banco de dados.

Somos um estúdio virtual localizado em Taboão da Serra -SP, focado em design gráfico e branding para empresas e profissionais autônomas. Acreditamos no potencial da imagem para alcançar o sucesso.

  • LinkedIn - Gabriela Costa
  • Facebook
  • Pinterest
  • Instagram

© COPYRIGHT 2021 - CNPJ: 31.252.859/0001-11 A CASA DE LILITH DESIGN STUDIO || FEITO COM ♥ DESDE 2018