Como funciona o processo de naming?

Você quer nomear o seu negócio, contratar uma empresa especializada nisso, mas não faz a menor ideia de como funciona o processo de nomeação?


Como funciona a nomeação de uma marca / negócio
Foto por 任力

Este post é para você! Aqui vou contar um pouco sobre como funciona o processo árduo de nomeação de um negócio. Achava que era simples? Bom, não é tão simples quanto parece não, viu?



Nomear um negócio não é simplesmente "dar um nome"


São considerados diversos fatores para que a nomeação de uma empresa seja bem sucedida e original. Alguns dos principais fatores são:


  • Nicho de negócio que a empresa atua.

  • Tipo de cliente que a empresa atende (personas), propósito da marca, etc.

  • Disponibilidade do nome no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) no campo onde a empresa vai atuar.

  • Um nome que seja fácil de lembrar e, preferencialmente, não tenha traduções estranhas em outros idiomas!

  • Não pode ser um nome genérico como "PADARIA pães e doces".

  • Não pode incluir nomes próprios, porque a chance do registro da marca ser indeferido é altíssima.

  • De preferência, precisa ser um nome fácil de pronunciar, independente da nacionalidade da pessoa (este é o mais difícil)...



Aqui no estúdio, gosto de trabalhar com neologismos e estudar profundamente o tipo de negócio, o propósito da marca e suas características que a faz diferente de outras empresas.


A partir daí se torna mais fácil escolher um bom nome: criativo, simples e original, facilitando 90% a vida do empreendedor que precisa registrar sua marca.



Passo 1: estudo do caso


Iremos analisar profundamente o propósito da marca, o que a faz diferente dos outros negócios e, a partir daí, iremos dar início ao processo criativo.


A pesquisa é extensa, muitas vezes cansativa, levando alguns dias para concluir, porque é necessário estudar conceitos, alguns idiomas diferentes para buscar inspirações e passamos horas e horas consumindo conteúdo até obter ideias.


Então eu pesquiso sem dó!


No brainstorming não se pode ter preguiça nem ignorar qualquer informação que seja. Vejo tudo!


Nomes de deuses, mitologias, flores, catálogos de ervas, nomes de peças e objetos, fuço o dicionário e vejo palavras com significados interessantes e que se associam ao propósito da marca.


Não ignoro nada mesmo!



Passo 2: Criação da Lista


Essa é a parte mais divertida (para quem gosta, né?). No caso, eu pego uma folha de papel e deixo o cérebro funcionar no automático.


Toda coisa doida que sair da minha cabeça eu escrevo no papel, porque a gente nunca sabe quando aquela coisa doida irá nos ajudar a pensar em algo genial.


Alguns profissionais de naming chegam a escrever até 1000 ideias diferentes e, no final, sobram menos de 10, porque a maioria esmagadora ou será BIZARRA em tradução para outra língua ou será muito difícil registrar, porque provavelmente alguém deve ter criado um nome parecido.


Fora as dificuldades de pronuncia de alguns nomes, algumas letras que soam com dupla fonética, por exemplo: BEABA.


Você pode ler beÁba ou beaBÁ. Algumas vão soar ofensivas caso lidas em tom errado. Podem soar ainda mais ofensivas ou engraçadas em outras línguas, então isso é bem complicado.


Então são coisas que dificultam o processo de naming e o tornam extenso.



Passo 3: seleção dos nomes!


Faremos a limpa na lista e, a partir daí começa a missão impossível: procurar a disponibilidade deste nome em sites, redes sociais, no INPI e descobrir quais estão em uso ou em processo de deferimento.


Porque não adianta simplesmente saber se o nome está disponível no INPI.

Ele precisa estar disponível para registro em todos os lugares, afinal você vai usar esse nome nas redes sociais, vai querer criar um site com ele, enfim. O user dele precisa estar disponível.



Passo 4: aprovação dos nomes!


Como se não bastasse a longa jornada da definição dos nomes, falta a parte mais importante: convencer você de que o nome é bom, original, criativo e vale a pena ser usado.


A maioria dos clientes vão tentar encontrar um defeito no nome, porque ele pode soar estranho de primeira impressão, mas é importante ressaltar que isso é completamente normal. Tudo que é novo estranha bastante, portanto não há o que temer.


Imagina a primeira pessoa que ouviu o nome "Coca-Cola".

É um nome esquisito, se você parar para pensar um pouco! Mas a gente repete tanto que se tornou normal e aceitável.



Dicas para você, como cliente, facilitar o processo de naming



Tenha a mente aberta!


É muito importante ter a mente aberta e entender que tudo que é novo pode chocar um pouco e fazer você sentir que é esquisito, que soa mal ou algo do tipo, mas faz parte do processo!



Tenha um propósito de marca bem definido.


Não dá para criar um bom nome sem ter um propósito, um estilo de marca e um nicho definido. O que você pretende passar com a sua marca? Amor? Conforto? Saúde? São temas importantes a serem considerados e isso vai impactar diretamente na escolha do nome. Inclusive ajuda a gente a ter mais ideias a respeito!



Tenha paciência...


O projeto pode levar até 1 mês, contando a pesquisa, as escolhas e a finalização. Portanto compreenda que pode levar um tempo até que você tenha sua marca em mãos.



Não saia por aí divulgando


Se você ainda não registrou sua marca, NÃO saia divulgando por aí o nome.


É importantíssimo que você entenda que, se algum espertinho registrar antes de você, ele irá ganhar o direito de uso do nome, portanto não comece a divulgar a marca antes do deferimento do registro no INPI. Isso é importantíssimo.


Sempre mantenho sigilo ABSOLUTO com os clientes a respeito do nome e das propostas, inclusive aquelas que não foram escolhidas, porque podem servir de segunda opção de registro.



Prefira fazer a identidade visual no mesmo local da criação do nome, se possível


Porque a ideia estará sendo construída em conjunto, no mesmo ambiente, com a mesma equipe, ou seja, o projeto terá um ideal em comum e isso contribui para que o propósito do nome e da aparência da marca seja muito mais forte.


Se você faz um pedaço em uma empresa, um outro pedaço em outra, sua marca será um tipo de Frank Stein, hahaha!

Pode até fazer sentido no final, mas serão ideias diversas o que pode tornar um propósito de marca difuso para um cliente.


Eu penso que é tipo aqueles projetos de escola que cada um faz uma parte e, no final, temos um projeto desfigurado. Complicado, né?



Concluindo!


É isso minhas queridas e queridos. Espero que o post de hoje tenha sido útil e tenha feito você compreender como funciona o processo de naming de uma marca.


Essa é a minha metodologia, não é uma regra e há profissionais que trabalham de diversas formas. Caso você tenha interesse em conhecer o serviço com mais detalhes, clique aqui.


Beijocas!



Se inscreva para

receber os nossos

posts novos :)

 Tudo certo! Obrigada pelo envio!

Não mandamos SPAM! Ao registrar-se, você concorda e aceita que A Casa de Lilith envie e-mails de novas postagens e armazene seu email em nosso banco de dados.